O que significa Calvinismo?

"Calvinismo significa que Deus, Senhor dos céus e da terra, é absolutamente soberano sobre todas as coisas, boas e más, na terra e no céu, e mais particularmente o calvinismo significa no que diz respeito à salvação que Deus escolhe e elege pessoas em Cristo que vem no tempo e coloca os seus pecados na cruz, de modo que pela Sua maravilhosa graça homens totalmente depravados e incapazes e sem qualquer livre-arbítrio, são trazidos voluntariamente ao Reino de Deus e guardados pela graça de Deus! Porque 'quem Ele predestinou também chamou, e quem Ele chamou também justificou, e quem justificou Ele também glorificou' - Romanos 8:30." Rev. Angus Stewart (www.cprc.co.uk)



quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

A Expiação Universal É Verdadeira? (1)


Uma parte dos leitores têm perguntado acerca da amplitude do propósito da expiação, isto é, por quem morreu Cristo? Esta questão é especialmente importante porque muitos evangélicos acreditam hoje em dia que Jesus derramou o Seu sangue por todas as pessoas, cabeça por cabeça, não excluindo ninguém. Esta perspectiva é pregada em muitos púlpitos e largamente promovida em livros e panfletos. Mas esta posição precisa ser analisada muito cuidadosamente. É realmente verdade que Jesus deu a Sua vida para salvar todos sem excepção? Deixem-nos perguntar algumas questões acerca deste ponto de vista.

  1. Como pôde o Deus Triúno, que possui sabedoria e compreensão infinitas, enviar o Seu muito amado Filho salvar do pecado e do Inferno aqueles que já estavam no Inferno, um lugar do qual os malditos não podem sair (cf. Lucas 16:26)?
  2. Deus enviou a Sua Palavra a somente uma nação, os Israelitas, durante o tempo Velho Testamento, e "Não fez assim a nenhuma outra nação" (Sl. 147:19-20; Actos 14:16). Mais ainda, Jeová também não enviou o evangelho para todos no tempo do Novo Testamento (cf. Actos 16:6-8; Mt. 24:14). Porquê então enviaria Deus Cristo para morrer por aqueles que nunca iriam ouvir o evangelho e por isso nunca poderiam ser salvos (Rm. 10:14, 17)?
  3. A Bíblia ensina que Judas era "o filho da perdição" (João 17:12), isto é, um homem todo caracterizado pela perdição, ruína e eterna destruição. Morreu Jesus realmente por Judas quando Ele sabia que o Velho Testamento já tinha profetizado que Judas O iria trair (Sl. 41:9) e "para ir para o seu próprio lugar", nomeadamente Inferno (Actos 1:25; Sl. 109; João 17:12)?
  4. A Escritura afirma que Deus odiou Esaú (Rom. 9:13) mas onde for que se fale da expiação de Cristo é como o fruto do amor de Deus (e.g., João 3:16; 15:13; Rom. 5:8; I João 4:10). Como então pôde Deus enviar Cristo, em Seu infinito, eterno e imensurável amor (Ef. 3:18-19) para morrer por Esaú o qual Ele odiava?

Rev. Angus Stewart

* Tradução da série de 8 partes do ensino sobre a doutrina da Expiação da Covenant Protestant Reformed Church, em http://www.cprc.co.uk/

2 comentários:

pastor manuel luzia disse...

Meu mui amado Irmão,

Vejo que está a abordar questões extremamente delicadas e profundas. A expiação é uma delas.
Partindo do pressuposto que a expiação, ou seja que Cristo morreu por todos "cabeça por cabeça" como refere o artigo traduzido, como se explica que muitos não são salvos? Quer então dizer que a expiação feita por Cristo não é eficaz, logo, Ele morreu em vão, porque não foi capaz de salvar todos. Bem, o que vejo na Palavra de Deus, logo aquilo que creio é que a expiação de Cristo é limitado ou particular. Ele veio salvar o Seu povo (Mateus 1:21). Na oração de Jesus pelos seus discípulos, Ele a dado momento diz: "Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus" João 17:9. É interessante não é?! Jesus a interceder por aqueles que o Pai lhe deu. É verdade que mais adiante o Senhor diz também que não rogava somente por aqueles, mas também pelos que, pela sua palavra, haviam de crer no Senhor Jesus. Bem, quem seriam estes? Os restantes? Cabeça por cabeça dos que restavam? Creio que não. Creio que Ele se referia áqueles que o Pai havia escolhido para Si, antes da fundação do mundo. (Efésios 1:4; Romanos 8:28-30; João 1:13) Claro que é uma matéria onde há grande controvérsia, mas aquilo que precisamos fazer é analizar as coisas à luz de todo o conceito da Palavra e não pegar em textos fora do seu contexto. Jamais acredito num Cristo vencido, num Cristo que morreu em vão. Acredito num Cristo que venceu a morte e que o Seu sacrifício teve um propósito objectivo e determinado. É evidente que também acredito que é suficiente para salvar todos, mas foi esse o propósito?

Fico por aqui.

ML

Nuno Pinheiro disse...

O Pr. Luzia já se adiantou aos artigos seguintes... lol.
Esta matéria está a ser traduzida para o site dos nossos irmãos na Irlanda que têm muito e bom material de doutrina e de teologia já traduzidos em português.
Mas é como o pastor disse, é controverso mas não nos calaremos de anunciar e expor as verdades por muito combatidas e desprezadas que hoje estejam.

Tenho dito ;)